terça-feira, 25 de julho de 2017

Ferrari dourada vista em vídeo não é do filho de Lula


ferrari do lulinha

Um novo boato sobre a prosperidade financeira dos filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou a circular no fim de semana. Dos mesmos criadores de “Lulinha é sócio da Friboi”, a notícia falsa da vez garante que o vídeo abaixo, publicado no YouTube, mostra um dos rebentos do petista desfilando com uma Ferrari dourada no Uruguai.

A lorota foi espalhada no Facebook por páginas como a Partido Brasil, segundo a qual as imagens mostram Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, primogênito de Lula, e a Quebrando a Esquerda –Brasil First, que não tão foi detalhista e alardeou que se trataria de um “filho do Lula” (imagens abaixo). Só na Quebrando a Esquerda, a notícia falsa foi visualizada 474.000 vezes e compartilhada outras 23.000. A Partido Brasil acabou excluindo a postagem.


Não é preciso ser um notável fisionomista para concluir que, além da barriga saliente, não há muitas semelhanças físicas entre qualquer um dos quatro filhos homens de Lula, Fábio Luís, Luís Cláudio, Sandro Luís e Marcos Cláudio, e o motorista da Ferrari California dourada. O homem sentado no banco do passageiro, embora mais parecido com os filhos do ex-presidente, também não é nenhum deles.
Além desse detalhe nada desprezível, o vídeo foi publicado originalmente no YouTube pelo argentino Cristian Chleidi com o título “Ferrari bañada en oro !!!”, sem qualquer referência a Lula, e não foi feito no Uruguai. A filmagem aconteceu diante do Hotel de Paris, no Principado de Mônaco. Na imagem abaixo é possível notar as pilastras marrons da entrada do hotel mostradas no vídeo e em uma foto geral da fachada:
Hotel de Paris
Em outro vídeo, feito no mesmo local em Mônaco, é possível notar na placa da Ferrari dourada as letras “BGA”. Já outra filmagem do mesmo carro, registrada em Cannes, na França, mostra aos 2 minutos e 34 segundos que, além da identificação “BGA”, a placa contém informações em árabe e a sigla “KSA”, cujo significado é Kingdom of Saudi Arabia, ou Arábia Saudita (imagem abaixo).
O dono da Ferrari dourada não é nenhum dos filhos de Lula, portanto, mas um saudita, que o Me engana que eu posto não identificou.
Notícia falsa Lulinha ferrari

‘Ronaldinho dos negócios’

Alvo da maior parte dos boatos envolvendo filhos do ex-presidente Lula, Fábio Luís Lula da Silva não é sócio oculto da JBS nem dono da Ferrari dourada, mas sua súbita ascensão no mundo dos negócios durante os governos de seu pai é nebulosa. Lulinha foi investigado por uma de suas empresas, a Gamecorp, ter recebido em 2005 um aporte de 5 milhões de reais da antiga Telemar (atual Oi), na qual o BNDES tinha participação.
Em 2006, quando a sociedade com a empresa de telefonia se tornou pública, Lula foi questionado e respondeu ao jornal Folha de S. Paulo que seu filho primogênito era um “Ronaldinho” nos negócios, uma referência ao jogador Ronaldinho Gaúcho, que vivia o auge de sua carreira naquele momento.
A Polícia Federal, que cumpriu mandados de busca e apreensão da Operação Lava Jato na casa do ex-presidente e dos seus filhos, concluiu que as empresas de Jonas Suassuna, um dos sócios de Lulinha na Gamecorp e em outros empreendimentos, registraram o recebimento de 750 milhões de reais entre os anos de 2004  e 2016.
O apartamento onde Fábio Luís mora em São Paulo, avaliado em 6 milhões de reais e cujo aluguel estimado é de 40.000 reais mensais, pertence a Suassuna. A PF afirma que o filho de Lula, no entanto, repassou eventualmente, entre maio de 2014 e fevereiro de 2016, mensalidades de 15.000 reais ao dono do imóvel. “Essas transferências não contemplam todos os meses do período de maio de 2014 fevereiro de 2016, assim como seriam em valor inferior à estimativa realizada pelo fisco federal para valor do aluguel do imóvel”, diz laudo dos investigadores, que analisaram a movimentação financeira e a evolução patrimonial de Lulinha de 2004 a 2014. Detalhe: não há qualquer registro de que o apartamento tenha sido alugado ao primogênito dos Lula da Silva.
Já o filho caçula do petista, Luís Cláudio Lula da Silva, é réu em uma ação da Justiça Federal do Distrito Federal ao lado do pai. O Ministério Público Federal apurou que Lula e os consultores Mauro Marcondes e Cristina Mautoni participaram de negociações irregulares no contrato de compra de 36 caças Gripen, da empresa sueca Saab, e em uma medida provisória para prorrogação de incentivos fiscais para montadoras de veículos. Segundo o MPF, Luís Cláudio recebeu 2,5 milhões de reais da empresa de Marcondes e Cristina por uma consultoria que, afirma o MPF, é fictícia.